História da Tatuagem

História da Tatuagem

Atualmente existem muitas provas arqueológicas que afirmam que tatuagens foram feitas no Egito entre 4000 e 2000 a.C. e também por nativos da Polinésia, Filipinas, Indonésia e Nova Zelândia (maori), e estas comunidades tatuavam-se em rituais ligados a religião.

O termo tatuagem, pelo francês tatouage e, por sua vez, do inglês tattoo, tem sua origem em línguas polinésias (taitiano) na palavra tatau e supõe-se que todos os povos circunvizinhos ao Oceano Pacífico possuíam a tradição da tatuagem além das dos Mares do Sul.

O pai da palavra “tattoo” que conhecemos atualmente foi o capitão James Cook (também descobridor do surf), que escreveu em seu diário a palavra “tattow”, também conhecida como “tatau”(era o som feito durante a execução da tatuagem,em que se utilizavam ossos finos como agulhas e uma espécie de martelinho para introduzir a tinta na pele).Com a circulação dos marinheiros ingleses a tatuagem e a palavra Tattoo entraram em contato com diversas outras civilizações pelo mundo novamente.

Contudo, alguns acontecimentos ocorreram e, fizeram com que a tatuagem fosse vista como algo pinupnegativo em váios momentos históricos e culturais. Por exemplo, em 1879, o Governo da Inglaterra adotou a tatuagem como uma forma de identificação de criminosos, a partir daí a tatuagem ganhou uma conotação fora-da-lei no Ocidente.
A tatuagem toma vários significados para cada cultura e momento histórico de nossa sociedade, alguns segmentos religiosos são contra e outros não, como no Hinduísmo, que ao fazer uma marca na testa acredita-se que isso aumente o bem-estar espiritual. Várias mulheres hindus tatuam seus rostos com pontos, especialmente ao redor dos olhos e queixo, para espantar o mal e aumentar a beleza. Tribos locais usam a tatuagem para se diferenciar de certos clãs e grupos étnicos.
No Brasil a tatuagem elétrica é uma arte muito recente, surgiu em meados dos anos 60 na cidade portuária de Santos e foi introduzida pelo dinamarquês Knud Harld Lucky Gregersen (também conhecido como Lucky Tattoo), que teve sua loja nas proximidades do cais, onde na época era a zona de boemia e prostituição da cidade de Santos.

Isto contribuiu bastante para a disseminação de preconceitos e discriminação da atividade, gerando um estigma de arte marginal que perdurou por décadas.

Atualmente com a intensa disseminação de informação, pelos meios de comunicação vemos um salto qualitativo nesta Arte. Primeiramente no que se refere à aperfeiçoação da técnica, bem como, materiais e pigmentos seguros para o profissional tatuador, e por segundo, a descriminalização da Arte. Pois como vimos, ela foi assimilada em vários momentos de formas distintas, e o que precisamos hoje é que a sociedade como um todo entenda que em nada muda uma pessoa ser tatuada ou não. Hoje vemos profissionais de várias áreas aderindo, e são apreciadores da Arte, do médico ao gari.
Abaixo ao preconceito!!

Viva a toda manifestação Artística!!

Viva a Arte corporal!!